Zon

ExtorĆ§Ć£o permitida

No dia 21 de Fevereiro de 2014, a ZON, contactou a minha esposa, uma vez que a fidelizaĆ§Ć£o do serviƧo zon fibra light estava a acabar, promovendo/vendendo o serviƧo zon4i.

A minha esposa, apĆ³s alguma insistĆŖncia por parte do vendedor, inerente a este tipo de contactos, acedeu a que enviassem o tal cartĆ£o, julgando que poderia avaliar melhor as condiƧƵes posteriormente.

No mesmo dia, foi enviado para a minha esposa via mail a documentaĆ§Ć£o necessĆ”ria para efetuar a portabilidade do cartĆ£o de telemĆ³vel e o documento de formalizaĆ§Ć£o de compra.

No dia 25 de Fevereiro, dia em que recebi os cartƵes em casa, desloquei-me a uma loja Zon, a fim de devolver os cartƵes que me tinham sido enviados e anular os serviƧos Zon. Em loja preenchi o formulĆ”rio que me foi apresentado entreguei os documentos solicitados e aguardei. Umas horas, sou contactado pelo serviƧo de retenĆ§Ć£o de clientes a oferecer uma reduĆ§Ć£o no preƧo dos serviƧos e a questionar as razoes que me levam a anular os serviƧos Zon.

Como mantive a vontade de anular os serviƧos com a Zon, fui informado que tinha uma fidelizaĆ§Ć£o a decorrer com inicio a 21 de Fevereiro de 2014 atĆ© 21 de Fevereiro de 2016 e que teria de pagar a penalizaĆ§Ć£o de 1800 euros.

Questionei entĆ£o o operador sobre os 14 dias de avaliaĆ§Ć£o onde seria possĆ­vel anular o contrato

.
A resposta obtida foi, contrariamente ao que consta nas condiƧƵes gerais para clientes atuais da Zon nomeadamente o ponto 12.3, que esse perĆ­odo nĆ£o se aplicava a clientes atuais da Zon.

“12.3 Nas adesƵes por telefone ou Internet, o Cliente poderĆ” exercer livremente o direito de resoluĆ§Ć£o no prazo de 14 (catorze) dias apĆ³s a data de adesĆ£o aos Produtos e ServiƧos, desde que, entretanto, nĆ£o tenha ocorrido, com o acordo do Cliente, a ativaĆ§Ć£o e/ou instalaĆ§Ć£o dos Produtos e ServiƧos solicitados, nos termos previstos no Decreto-Lei n.Āŗ 143/2001, de 26 de Abril.”

Ora, posteriormente, e apesar de nĆ£o ter sido devolvido aos serviƧos da Zon o tal “Documento de formalizaĆ§Ć£o de compra”, fui informado que a ativaĆ§Ć£o dos serviƧos foi imediatamente feita apĆ³s o primeiro contacto telefĆ³nico por parte da Zon, anulando assim os “fictĆ­cios” 14 dias de avaliaĆ§Ć£o.

ApĆ³s novo contacto da Zon referente a uma reclamaĆ§Ć£o apresentado no dia 25 de fevereiro em loja, reclamaĆ§Ć£o essa feita apĆ³s o contacto telefĆ³nico, fui novamente contactado pelos serviƧos Zon neste caso no dia 3 de MarƧo, fui informado que os serviƧos seriam desligados os aparelhos devolvidos a Zon e que, novamente, uma vez que a fidelizaĆ§Ć£o atĆ© 2016 estava a decorrer teria de pagar os tais 1800 euros de penalizaĆ§Ć£o.

Ora apĆ³s reclamaƧƵes e pedidos de informaĆ§Ć£o a entidades como DECO; ANACOM; Portal da queixa e CIAC, a sensaĆ§Ć£o que obtive Ć© de que estou nas mĆ£o da Zon e que a Ćŗnica saĆ­da Ć© “pagar e calar”

Fico chocado com a facilidade que uma empresa tem em “extorquir” uma pessoa, a permissĆ£o deste tipo situaƧƵes por parte das entidades reguladoras Ć© absurda.

Destas entidades, as respostas que atĆ© agora obtive Ć© de que nĆ£o hĆ” nada a fazer a nĆ£o ser tentar mediar esta situaĆ§Ć£oā€¦ SerĆ” que ninguĆ©m vĆŖ quĆ£o erradas estĆ£o estas aƧƵes empresariais?

Somos uns bonecos nas mĆ£os desta espĆ©cie de MĆ”fiaā€¦.

Leave a Reply